DESAPEGO E AUTOESTIMA TAMBÉM TÊM QUE FAZER PARTE DO GUARDA-ROUPA

guarda roupa

Olá, Consultora! Tudo bem?

Quantas clientes você já atendeu que tinham peças guardadas para “voltar a usar quando emagrecer” ou porque “usava quando tinha 15 anos a menos”? São muitos os motivos que fazem com que nossas clientes mantenham algumas peças no guarda-roupa, mesmo sem usá-las, mas essa “mania” pode estar acabando com a autoestima delas.

Muitas vezes, o que parece um incentivo para sua cliente pode estar deixando a autoestima dela cada vez mais baixa. Pense em alguém que guarda uma calça jeans alguns números menores com a “promessa” de emagrecer. Com o passar do tempo, se se esse objetivo não for alcançado, sua autoestima vai caindo, ela vai se sentindo fracassada e acaba perdendo a vontade de sair, de se relacionar e etc.

Nesse momento nós devemos entrar em ação, Consultora. Precisamos fazê-la entender que ela pode querer mudar seu corpo e melhorar sua aparência, se é isso que ela almeja, mas, primeiramente, ela precisa gostar do que tem e de quem ela é. Se sua cliente não se gosta, dificilmente vai conseguir se sentir feliz e realizada, mesmo com a transformação de sua imagem e do seu estilo. Precisamos ajudá-la a reconhecer seus pontos fortes, para olhar para si mesma com mais amor, assim melhorando a relação dela consigo mesma e com o próprio corpo.

Uma das formas de fazer isso é desapegar dessas peças que a fazem lembrar de um corpo que ela não tem mais ou de uma fase de vida que não volta mais, por exemplo. Uma roupa de quando sua cliente tinha 30 anos, provavelmente não combina mais com o seu estilo atual se ela tiver mais de 50. Desfazer-se dessas peças “paradas” também ajuda a desapegar dos sentimentos presos a elas.

Um guarda-roupa cheio de peças que não são usadas não tem sua energia renovada (já falei sobre isso em outro post). Doar roupas e colocar peças novas faz fluir a energia do guarda-roupa e da vida da sua cliente também, seja pelo prazer de comprar e de usar algo novo ou por poder ajudar alguém com a peça doada. O importante é saber o motivo daquela peça não fazer mais parte da nova imagem dela.

Sabemos que um dos principais motivos dos clientes nos procurarem é em busca de uma “nova fase”, não é mesmo? E cabe a nós, Consultoras, fazê-los identificar qual é essa fase, o que estão buscando, quem são, do que precisam e o que verdadeiramente desejam. A mágica do nosso trabalho está em conseguir captar essas informações através do comportamento e dos gostos dos nossos clientes porque, muitas vezes, nem eles mesmos sabem todas essas respostas. Transformação, adequação e harmonização são algumas das palavras-chave dessa mudança.

Uma nova imagem é capaz de fazer sua cliente enxergar características positivas que ela não conhecia e, a partir daí, valorizar cada uma delas, deixando de lado aquelas que não a agradam tanto. Com o passar do tempo, aquelas peças que ela não queria se desfazer de jeito nenhum passam a não ter mais o mesmo significado e nem tanta importância e quando se desapegam, parece que toda aquela sensação ruim também vai embora. É transformador!

Por isso, Consultora, eu digo e repito sempre que nós devemos conhecer muito bem nossos clientes para sermos capazes de ter esse olhar sutil e identificar esses desejos e vontades. São nos pequenos detalhes que nós fazemos a diferença na vida de cada um deles, portanto, estejamos atentas a tudo! Entender os desejos dos clientes é fazer dos seus atendimentos algo ainda mais personalizado e transformador.

Uma Consultora que consegue captar a essência dos seus clientes é uma Consultora de MUITO SUCESSO!

Um Super Beijo

Lilian Jordão

0 Comentário

ENVIE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado *

Comentário *




18 − 15 =